Farmácias podem vender ao governo por meio da cotação eletrônica

As licitações ganharam força no mercado farmacêutico, com um aumento de 126% no número de processos para compras de medicamentos e produtos de higiene pessoal. Foram abertos 22.746 editais de janeiro a maio de 2021, contra 18.065 no mesmo período de 2020. O levantamento foi realizado pela RHS Licitações com exclusividade para o Panorama Farmacêutico.

O que mais chamou a atenção foi o aumento no volume de negócios por meio das contratações diretas, com 7.549 ofertas de Cotação Eletrônica de Preços, contra 6.360 dos cinco primeiros meses do ano passado. “Essa modalidade de contratação de serviços privados pela administração pública é uma oportunidade para as farmácias se tornarem fornecedoras, uma vez que são contratos de pequeno valor, sem nenhuma burocracia e com dispensa de licitação”, afirma Sandra Botana, diretora comercial da RHS.

 

Segundo a executiva, a cotação eletrônica é uma forma de competição com data e horário de início predefinidos, na qual todos os participantes dão o lance. Assim que a cotação for encerrada de modo randomizado, quem tiver a proposta de menor valor ganha. “Poucas farmácias exploram essa modalidade de disputa pública por puro desconhecimento. Percebemos uma adesão maior de empresas de distribuição, já acostumadas a participar de grandes licitações e que sabem onde buscar essas informações”, ressalta.

Para participar, basta efetuar um cadastro no Sistema de Cadastro Unificado de Fornecedores (SICAF) ou na Bolsa Eletrônica de Compras/ SP (BECSP). As compras têm um valor máximo de R$ 17.600 pela Lei 8666/ 93 e de R$ 50 mil segundo a Nova Lei de Licitações 14.133/21, que entrou em vigor em abril. Esse montante é definido de acordo com as especificações de cada edital. “Qualquer farmácia pode participar seja para vender medicamentos, itens de higiene e até com produtos de marca própria”, acrescenta.

Aumento de licitações

A maior parte das licitações envolve a esfera municipal, com 9.175 ofertas em 2021. São Paulo é o estado que mais abre novos processos de licitação, com 6.020 ofertas. Na segunda posição está a Bahia, com 2.881.

As cinco licitações de maior evidência

O levantamento da RHS também elencou as cinco licitações que estão mais em evidência no momento.

Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia – RJ
Pregão eletrônico para aquisição de medicamentos padronizados
https://www.licitacao.com.br/editais/IA-MARE/2021/junho/1953372.zip

Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo – SP
Pregão eletrônico para registro de preços
http://www.licitacao.com.br/editais/IA-EN/2021/junho/1949810.zip

Ministério da Saúde – DF
Pregão eletrônico para intenção de registro de preços para aquisição de itraconazol, concentração 100mg, forma farmacêutica cápsula, conforme demais especificações contidas no termo de referência
http://www.licitacao.com.br/editais/diversos/2021/junho/10602319.zip

Hospital das Clínicas de São Paulo – SP
Pregão eletrônico para compra de aciclovir 200mg, ciprofloxacino 500mg, ganciclovir 500mg, fluconazol 150mg, imipenem 500mg + cilastatina 500mg pó
http://www.licitacao.com.br/editais/IA-EN/2021/junho/1947950.zip

Secretaria Estadual da Saúde – RS
Pregão eletrônico para aquisição de bens da(s) família(s) 0880 – medicamentos de uso humano; 0886 – medicamentos de uso humano – especiais https://licitacao.com.br/editais/IA%20ECOMPRASRS/2021/junho/1949524.zip

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!