Treze empresas disputam 1º lote de licitação para revitalizar Ernesto Geisel

28 de Junho de 2017

Treze empresas disputam a licitação para obra no entorno do rio Anhanduí, na avenida Ernesto Geisel, no trecho entre as ruas Santa Adélia e Abolição, em Campo Grande.

Nesta quarta-feira (dia 28), às 8h da manhã, as empresas entregaram documentos e propostas para o trecho de número um.

No decorrer do dia, serão realizadas mais duas sessões para receber propostas para os trechos 2 e 3 da obra. Ao todo, a prefeitura prevê gasto de até R$ 56,2 milhões. Esta é maior licitação realizada na gestão do prefeito Marquinhos Trad (PSD).

Na primeira etapa, cujo teto de custo é de R$ 15,1 milhões, treze empresas entregaram documentação à comissão permanente de licitação, em reunião realizada na prefeitura.

A lista é formada por Catedral Construções Civis Ltda, Pactual Construções, Coteg Construções e Gabiões, Dreno Construções – Eirelli EPP, EBS Empresa Brasileira de Saneamento, Gimma Engenharia Ltda, Amparo Saneamento e Construções.

Além de Construdahaer Construções e Serviços, ACR Construtora de Obras Ltda EPP, Infrater Engenharia Ltda, FBS Construção Civil e Pavimentação SA, DP Barros Pavimentação e Construção Ltda e Diferencial Serviços e Construções Ltda.

Conforme à ata da concorrência 01/2017, devido à complexidade da documentação apresentada, a comissão suspendeu os trabalhos para análise minuciosa e os envelopes com as propostas de preços ficarão lacrados.

Os três editais de licitação foram lançados no dia 10 de março e os prazos de entrega de documentos sofreram alterações sucessivas, passando de 17 de abril para 10 de maio, depois para 26 de junho e, finalmente, aconteceu neste 28 de junho.

No decorrer do tempo, o valor sofreu corte de R$ 1,5 milhão: caindo de R$ 57,7 milhões para 56,2 milhões. A obra é dividida em três trechos da avenida Ernesto Geisel: Santa Adélia até Abolição (R$ 15.191.144,17); Rua da Abolição a Bom Sucesso (R$ 25.178.933,82) e entre Bom Sucesso e Aquário (R$ 15.743.336,09).

Asfixiado pelo assoreamento e cercado pela erosão, o rio Anhanduí é o principal curso de água de Campo Grande. O rio recebe as águas das bacias dos córregos Prosa e Segredo. Ao longo dos anos, os problemas se acumulam em assoreamento do leito, destruição dos barrancos, degradação ambiental e destruição do asfalto (engolido pela erosão).

Fonte: Campo Grande News

 

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!