Três consórcios e uma empresa disputam licitação do aeroporto de Conquista

O Departamento de Infra-estrutura de Transportes da Bahia (Derba) realizou ontem (22) a primeira etapa da concorrência pública para a construção do novo aeroporto de Vitória da Conquista, quando quatro das 34 empresas e consórcios que compraram o edital apresentaram documentos para habilitação. O diretor geral do órgão, Saulo Pontes, informou que a documentação entregue será avaliada pela comissão de licitação do Derba e, depois disso, as empresas habilitadas serão publicados no Diário Oficial.

Somente após a publicação e de transcorrido o prazo de cinco dias para eventuais recursos e questionamentos entre os concorrentes é que será realizada a segunda e última etapa, com a tomada de preço, explicou Saulo Pontes. Os quatro licitantes que apresentaram a documentação foram os consórcios GPO – Gestão Projetos e Obras LTDA, Paviservice LTDA e o Conserva/TORC, além da empresa Torre Empreendimento e Construção LTDA.

O deputado Zé Raimundo Fontes, que vem trabalhando e defendendo o novo aeroporto desde quando foi prefeito de Vitória da Conquista, juntamente com o deputado federal Waldenor Pereira, não escondia a satisfação com o início da licitação. “Trata-se de uma aspiração que vai impulsionar o desenvolvimento do município e região”. A construção do aeroporto deve absorver investimento total de R$ 86 milhões. Ele ficará no povoado de Pé de Galinha, distante 8,3 quilômetros do centro de Conquista.

Terá pista com extensão inicial de 2 mil 100 metros, podendo ser ampliada até 3mil 200 metros (superior à extensão do aeroporto de Salvador, com 3 mil metros) e capacidade de receber aeronaves de grande porte. Vai beneficiar a uma população estimada em 2 milhões de habitantes dos municípios das regiões Sudoeste, Serra Geral, Chapada Diamantina e do norte de Minas Gerais.

(Fonte: Jornal da Midia)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!