Santos abre licitação para ampliar mutirão de exames

23 de Maio de 2017

Um paciente do Sistema Único de Saúde, em Santos, demora até seis meses para realizar uma endoscopia ou exames oftalmológicos. A informação é do secretário de Saúde santista, Fábio Ferraz. “São dois gargalos importantes. A gente tem uma demanda bem retraída que supera o prazo”.

A análise foi feita por ele nesta segunda-feira (22), no mesmo dia em que o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) anunciou o lançamento de duas licitações para a contratação de empresas que façam exames e procedimentos oftalmológicos e de gastroenterologia.

O anúncio aconteceu durante visita da Barbosa ao Hospital Beneficência Portuguesa, na Vila Belmiro. Barbosa afirma que a contratação faz parte do programa Meta 30, que tem o objetivo de diminuir o tempo de espera por exames na saúde pública municipal.

“Começamos com os testes ergométricos e eletrocardiograma, com a Beneficência Portuguesa. Contabilizamos 1.251 exames realizados, zeramos a fila e agora vamos para uma nova etapa”, explica o prefeito.

Os dois editais, na modalidade pregão eletrônico, vão escolher instituições que vão realizar exames de colonoscopia e endoscopia e 12 exames e procedimentos oftalmológicos, como paquimetria ultrassônica, curva diária de pressão ocular, alguns tipos de retinografias.

Barbosa diz que as duas licitações representam um investimento de R$ 2,5 milhões. A Prefeitura contrata a empresa pagando a tabela SUS pelos procedimentos. “O Município vai pagar exatamente aquilo que recebe, para poder fazer o atendimento com mais qualidade”, acrescenta.

A expectativa da Administração é finalizar o processo em até 30 dias. “A contratação será rápida, em oito dias úteis nós teremos o certame e, no máximo, em 30 a gente pode iniciar a prestação desse serviço”.

Segundo o edital, clínicas particulares e hospitais da cidade podem participar do processo. “Vence quem tiver o menor preço para a Cidade”, acrescentou o prefeito de Santos.

Segundo Ferraz, a licitação vai seguir o mesmo parâmetro do contrato celebrado com a Beneficência Portuguesa, que já realiza exames como teste ergométrico e eletrocardiograma. “Temos um balanço importante, com cerca de 1.200 exames realizados. Agora, a nossa meta é fazer com que os exames sejam feitos em até 30 dias”, completou.

Ferraz acrescenta que a Prefeitura iniciou, na semana passada, uma nova dinâmica para o agendamento dos exames no Município. Foi criada uma central de agendamentos. Antes, os exames eram marcados dentro das policlínicas, em um sistema de cotas.

“Existia algum desnível nesses agendamentos. Agora, com o sistema novo, nós montamos uma sala, no departamento de regulação do Samu. Nós já temos os profissionais trabalhando em uma lógica única, uma central. A gente consegue uma padronização”, argumenta Ferraz.

Metas

Oftamologia

Exames: paquimetria ultrassônica (monocular), campimetria computadorizada ou manual, curva diária de pressão ocular – CPDO, gonioscopia, mapeamento de retina, microscopia especular de córnea, potencial de acuidade visual, potencial visual evocado, retinografia colorida binocular, retinografia fluorescente binocular, tonometria, topografia computadorizada de córnea.

Quantidade: até 8,5 mil exames num período de 12 meses ou 708 por mês; até 2,5 mil procedimentos em 12 meses ou 208 por mês.

Gastroenterologia

Exames: endoscopia digestiva alta e colonoscopia diagnóstica e terapêutica.

Quantidade: até 3 mil endoscopias num período de 12 meses ou 250 por mês; até 1 mil colonoscopias em 12 meses ou 83/mês.

Fonte: A Tribuna

 

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!