Prefeitura vai comprar R$ 1 milhão em pregão presencial na sede da CDL hoje

O primeiro pregão presencial do projeto Desenvolver, da Prefeitura de Itabira, vai comprar, preferencialmente de fornecedores locais, cerca de R$ 1 milhão em cestas básicas e eletrodomésticos nesta sexta-feira, 29 de agosto. O evento será na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), no bairro Esplanada da Estação. Esta será a primeira vez que um processo de licitação acontecerá fora do prédio da Prefeitura.

 

O objetivo do projeto Desenvolver, que criou um regime próprio de contratações e aquisições em Itabira, é reduzir a burocracia nos processos licitatórios, tornando-os mais ágeis e eficientes, e proporcionar mais condição de o empresário local participar dos processos.

 

Segundo Daniel, uma pesquisa interna feita pelo Município identificou que os empresários itabiranos não têm interesse em vender para a Prefeitura porque acham o processo licitatório demorado e confuso. Eles também reclamam da demora em receber.

 

Com o projeto Desenvolver, toda compra feita de pequenas e médias empresas será paga em até cinco dias. Para o pregão presencial desta sexta-feira, Daniel Lança afirma que será feito também um cadastro proativo das empresas, com o objetivo de, num futuro não muito distante, as empresas se preocuparem apenas com a proposta comercial quando forem participar de licitações em Itabira. “O empresário só precisará trazer o que ele está disposto a vender. A gente usa sempre uma frase: o padeiro precisa saber fazer pão, o açougueiro tem de saber vender carne.

 

Deixa que a documentação nós providenciamos”, afirmou. Cartilha A Prefeitura também está distribuindo entre as empresas de Itabira uma cartilha, com o título “MPEs, forneçam para a Prefeitura”. O informativo, com infográficos e textos simples de entender, explica o passo a passo do processo de licitação, informa o poder de compra da Prefeitura, os benefícios que o empresário pode ter ao vender para o setor público e como fazer para participar dos pregões.

 

A ideia é aumentar o percentual de participação de empresas locais na lista de fornecedores do Município, que hoje não passa de 20%. Só no ano passado, a Prefeitura comprou R$ 125 milhões em bens, materiais e serviços.

 

Outros pregões fora da Prefeitura, como na sede da Acita e em praça pública, também devem acontecer. “A gente quer deixar o processo mais transparente, mais acessível”, explica o procurador.

 

(Fonte: De fato Online)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!