Prefeitura diz que lançará licitação para o transporte coletivo em 2013

Medida ocorre após as empresas terem recolhido os ônibus da Expofeira. O prefeito de Macapá Clécio Luís anunciou, nesta terça-feira (8), que o processo de conclusão da licitação para novas empresas de transporte coletivo operarem em Macapá vai ser acelerada. A nova previsão de lançamento é para até dezembro de 2013. A ideia é apresentar a proposta à população em uma audiência pública, ainda sem data definida.

O anúncio feito por Clécio aconteceu no mesmo dia em que a prefeitura de Macapá representou contra as atuais empresas de ônibus da capital, no Ministério Público do Estado do Amapá (MP/AP), após elas terem recolhido os ônibus que faziam linha para a 50ª Expofeira Agropecuária do Amapá, na madrugada de segunda-feira (7). Na ocasião, a Polícia Militar calcula que mais de 10 mil pessoas tenham ficado sem o transporte coletivo no retorno do evento.

“O processo de conclusão da licitação, que já estava em curso, vai ser acelerado porque não podemos ficar à mercê de situações como a que ocorreu na Expofeira”, declarou o prefeito de Macapá.

“Em um mês faremos a audiência pública para apresentarmos a licitação à população, e logo em seguida vamos estar lançando. A previsão é para este ano”, acrescentou a diretora-presidente da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) Cristina Baddini.

Representação
A prefeitura de Macapá entrou com uma representação no MP/AP, nesta terça-feira, contra as empresas que operam no transporte coletivo na capital. O município quer que o Ministério Público apure os responsáveis pelo recolhimento dos ônibus na madrugada de segunda-feira, último dia da Expofeira de 2013.

Em nota, o Setap chegou a alegar que um cobrador teria sido “esfaqueado, um motorista agredido a tapas e dezenas de veículos depredados com assentos arrancados e vidros quebrados”, no dia anterior ao do encerramento da Expofeira.
“Depois do que ocorreu, além da representação, aplicamos autuações, multas administrativas, e fizemos boletins de ocorrências”, disse Clécio Luís.

“A infração principal é o descumprimento da ordem de serviço dada às empresas de transporte coletivo, que previa disponibilizar ônibus até o término da Expofeira”, afirmou Cristina Baddini.

(Fonte: g1)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!