PBH abre consulta pública sobre estacionamentos subterrâneos

Consulta foi aberta para que o mercado opine sobre os estacionamentos subterrâneos e os rotativos, que deverão passar para uma nova concessionária ainda este ano

 

O estacionamento rotativo em BH deve sair das mãos da BHTrans ainda este ano. Isso porque uma nova consulta pública sobre os estacionamentos subterrâneos e os rotativos, aberta no último dia 27, ficará disponível até o dia 1° de abril. Ela antecede a abertura da licitação da qual sairá uma nova concessionará para administrar os estacionamentos subterrâneos e os rotativos na capital.

 

Já houve uma licitação semelhante em relação aos estacionamentos subterrâneos em 2012, mas ela não obteve nenhum interessado, de forma que no ano passado a prefeitura abriu a consulta pública sobre o assunto para ouvir o mercado. Com base nestas sugestões e posicionamentos, a chamada PBH Ativos redigiu um novo edital e optou por abrir novamente a consulta pública antes de dar início à uma nova licitação.

 

A licitação será no formato de concorrência e o contrato com a futura concessionária é de quase R$ 2 bilhões para realizar a “construção, implantação, gestão, manutenção e operação de serviços públicos de estacionamento e infraestrutura correspondentes”. O contrato de concessão é de 20 anos para os serviços relacionados ao estacionamento rotativo e 35 anos para os estacionamentos subterrâneos.

 

No edital anexado na consulta pública, explicita-se por obras a implantação e ampliação dos estacionamentos subterrâneos da capital e ainda, a implantação dos serviços de rotativos. O estudo prévio dos rotativos que, até então, era realizado pela BHTrans, deverá ser um projeto da nova concessionária.

 

Quanto a construção dos novos estacionamentos subterrâneos, o documento também especifica as suas localizações. Serão cinco na região central, totalizando 2.324 vagas. O primeiro deverá ficar na rua Tupinambás, entre avenida Amazonas e avenida Afonso Pena, com saída também pela rua Rio de Janeiros entre ruas Caetés e Tupinambás.

 

O segundo estacionamento subterrâneo deve ser localizado na rua Ouro Preto, entre avenida Augusto de Lima e rua dos Timbiras, com saída também pela rua Guajajaras, entre ruas Ouro Preto e Paracatu, no Barro Preto.

 

O terceiro estacionamento ficará na área da praça Afonso Arinos, na avenida Álvares Cabral, entre ruas da Bahia e Espírito Santo, com única entrada por esta via. Já o quarto estacionamento deve ser localizado na região hospitalar, avenida Pasteur, entre avenida Brasil e rua Padre Rolim, com saídas também pela rua Rio Grande do Norte e rua Padre Rolim. Este será o mais amplo dos cinco, e contará com 748 vagas.

 

O último estacionamento deverá ser localizado na Savassi, na rua Paraíba, entre avenidas Getúlio Vargas e Cristóvão Colombo, e com saída também pela Antônio de Albuquerque.

 

Os interessados em opinar sobre o edital ainda provisório disposto na consulta púbica (clique aqui para acessar) devem enviar um e-mail para juridico.pbhativos@pbhativos.com.br.

 

Menos vagas na superfície

A construção de estacionamentos subterrâneos na capital não vai criar novas vagas, já que, no modelo proposto pela prefeitura, serão construídas garagens para 2.324 automóveis, mas, como contrapartida, será extinta a mesma quantidade de rotativos. O espaço que será liberado com o fim de vagas na superfície será usado para faixas exclusivas de ônibus, ciclovias, parklets, alargamento de passeios e outras intervenções. A ideia, segundo a prefeitura, é “dar mais espaço aos pedestres”.

 

(Fonte: O tempo)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!