Obras de requalificação são retomadas na Ribeira

Os serviços de requalificação da orla da Ribeira, programada inicialmente para ser concluída em dezembro de 2013, foram retomados esta semana pela prefeitura, mais de um ano após o início da obra.

 

Segundo o secretário de Infraestrutura de Salvador, Paulo Fontana, o trecho 2 do projeto, na praia de Bogary, será entregue em até 60 dias, “caso não chova”. Se chover, antevê Fontana, esse prazo deverá ser ampliado.

 

Entre as intervenções feitas no local estão a reestruturação dos passeios e das rampas de acesso para deficientes, a instalação de ciclovias e colocação de pisos intertravados semelhantes aos da Barra.

 

Já no trecho 3 – da praia de Bogary até a praça Divina -, uma vala está sendo construída sob o chão, para abrigar mil metros de fiação. No trecho 4 (após a praça Divina), uma quadra poliesportiva será instalada para uso da comunidade.
Conforme Fontana, a ausência desta vala no projeto original, “feito na gestão anterior”, causou a interrupção da obra. “Aqueles postes provocavam uma poluição visual muito grande, então tivemos que fazer outra licitação, para incluir a construção desta vala no projeto”, explica.

 

Além disso, a empresa que executava o serviço teve o contrato cancelado pela prefeitura, por conta do atraso no cumprimento dos prazos.

 

Atrasos
Atualmente, a gestão municipal prevê que a nova orla da Ribeira será entregue até o final do ano, totalizando R$ 8 milhões em investimentos.

 

Esta já é a quarta previsão de conclusão divulgada pelo município. Iniciada em 5 de julho de 2013, a intervenção deveria ser finalizada até dezembro do ano passado.

 

Em seguida, a prefeitura informou que a obra seria finalizada em janeiro deste ano. Depois, foi adiada para junho deste ano, e, agora, para dezembro, visando o verão.

 

Enquanto isso, moradores e comerciantes da região reclamam dos transtornos. Segundo Maria Aderalra, 58 anos, proprietária de um restaurante na praia de Bogary, o prejuízo tem sido grande para quem depende da circulação de pessoas no local.

 

“Os clientes não vêm, não passa ninguém aqui. Sofre, principalmente, quem paga aluguel, como eu, e precisa do lucro para se sustentar”, lamenta a microempresária.

 

O garçom e morador da Ribeira Ailton Bispo, 54, destaca a lentidão da obra. Conforme Ailton, muitos restaurantes fecharam as portas nesse período pelo qual a requalificação se arrasta.

 

Ambulantes também estão prejudicados, relata o garçom, por causa da redução no número de visitantes. Entretanto, Ailton aposta na valorização da área após o fim da intervenção. “Parece que agora vai andar. Espero que traga coisas positivas e valorize a região”, almeja.

Sobre os atrasos, o secretário de Infraestrutura, Paulo Fontana, garantiu que os trabalhos não serão interrompidos novamente.

 

(Fonte: A Tarde)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!