Novos táxis só devem sair depois da Copa do Mundo

 


A licitação que prevê a contratação de 750 novos táxis para Curitiba não deve ficar pronta até o inicio da Copa, agravando ainda mais o problema que a cidade enfrenta com a falta de veículos. De acordo com o Sindicato dos Taxistas do Estado do Paraná (Sinditaxi) a capital paranaense já está há quatro anos com a frota defasada para atender a população.

 

Segundo o Sinditaxi, atualmente a cidade opera com 2.252 permissionários de táxis. Com as novas permissões esse número saltará para 3.002. Mas o sindicato estima que para atender a população de aproximadamente 1,7 milhão de habitantes de Curitiba seria necessário pelo menos mais 2 mil carros nas ruas. “Hoje em dia as pessoas estão brigando para pegar um táxi nas ruas. Até mesmo quando tentam pedir por telefone o cidadão tem que esperar, pois a quantidade de carros não está dando conta faz tempo”, afirma o presidente do Sinditaxi, Abimael Mardegan.

 

Quem se classificou na primeira fase do processo de licitação, que analisa a proposta técnica dos concorrentes, reclama da demora em sair o resultado. “Estou acompanhando todos os dias e parece não haver previsão para o resultado sair. É complicado, porque a Copa já está perto e após vencer a licitação o futuro permissionário ainda gastará um bom tempo para adesivar o veículo, obter o taxímetro e a liberação da Urbs, além do curso de taxitur. Demora quase três meses para colocar o carro nas ruas”, conta um dos vencedores do primeiro processo de licitação.

 

A estimativa da Urbs é de que a primeira fase do processo esteja encerrada em meados de março. Segundo a Urbs, não existe prazo legal para que os trabalhos que analisam “mais de 30 mil páginas de recursos movidos pelos concorrentes que se sentiram prejudicados nessa primeira fase”. De acordo com o órgão responsável por administrar o serviço de táxi na capital, por determinação da lei todos os candidatos receberão a resposta confirmando os vencedores no próximo mês pelo site da Urbs, em data a ser definida. Encerrada esta etapa, a licitação prossegue para a fase de habilitação, em que são averiguados se os vencedores cumprem o exigido pelo edital.

 

Para o presidente do Sinditaxi, o mais importante é que as novas placas sejam entregues o quanto antes. “Não é apenas pela Copa, pois os turistas geralmente possuem um pacote fechado com esse serviço disponibilizado através dos hotéis ou pelas agências de viagem. Esses novos táxis são para o curitibano, que já sofre há algum tempo apenas para pedir um táxi”, afirma Abimael.

 

(Fonte: Paraná Online)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!