MPF pede providências sobre obra parada

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Infraero que questione as empresas que participaram da licitação para reforma do aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, sobre o interesse delas em assumir a obra, parada desde maio.

 

A provocação do partiu do procurador da República Alessander Sales, que se reuniu com representantes da Infraero e Tribunal de Contas da União (TCU), ontem em Brasília. O objetivo é buscar solução para retomada da obra. A consulta às empresas remanescentes seria feita de acordo com a ordem de classificação na licitação. A resposta à consulta, pela recomendação do MPF, deveria ocorrer no prazo improrrogável de 60 dias.

 

O contrato com o consórcio vencedor, CPM Novo Fortaleza, foi rescindido devido a atrasos.

 

Alessander Sales apontou que o consórcio segundo colocado na licitação (Encalso-Kallas) levou 90 dias para responder a Infraero e apresentou proposta que não foi aceita.

 

No momento, a estatal negocia com o terceiro colocado.

 

(Fonte: O Povo)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!