Licitações vão atualizar parque de TIC da Copa do Mundo para as Olimpíadas

Licitações vão ser realizadas – já em 2015 – para atualizar o parque de TIC, utilizado para a Copa do Mundo, visando a estratégia de Segurança para os Jogos Olímpicos de 2016. A informação foi passada pelo Secretário extraordinário de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Augusto Passos Rodrigues. Segundo ele, a Secretaria -que assumiu a segurança interna do megaevento esportivo de 2016 no Rio de Janeiro – tem alocado R$ 350 milhões para fazer essas concorrências. “Vamos fazer um projeto para avaliar o quê precisa ser atualizado da Copa para as Olimpíadas. Também vamos ver, com novos recursos, as compras de TIC para o evento, sob a nossa coordenação”, frisou.

 

O executivo, que participou do seminário Gestão de Segurança, promovido pelo jornal EL PAÍS em parceria com a FGV Direito SP, da Fundação Getúlio Vargas, com patrocínio da NEC Brasil, nesta quarta-feira, 18/03, informou que por um acerto na elaboração da política de Segurança – firmado entre os governo federal, estadual e municipal – a Secretaria de Eventos está assumindo também a coordenação das áreas internas das Olimpíadas 2016.

 

“Os jogos terão 159 instalações com diferentes características, com público, atletas e delegações. Será uma tarefa complexa e não envolve apenas a cidade do Rio de Janeiro. Muitas delegações vão ficar hospedadas em outras cidades e mesmo Estados. Agora estamos no processo de elaboração dessa estratégia de Segurança e Tecnologia será crucial para que tenhamos os resultados obtidos durante a Copa do Mundo”, sustenta Rodrigues.

 

O executivo lembra que o Brasil viveu um período inédito em relação à Segurança de grandes eventos. Começou com os Jogos Pan-Americanos em 2007, tivemos a Jornada da Juventude, Copa do Mundo e, agora, Olimpíadas. “O que nos dá satisfação é que a Rússia e o Catar, que vão sediar as Copas de 2018 e 2022 vieram ao Brasil para conhecer nossos Centros de Controle. Foram investidos mais de R$ 1 bilhão, e todo esse legado está passando para os Estados”, informa.

 

E mais: outras cidades, que não foram sede da Copa, estão criando os seus próprios centros de controle, com Goiânia, em Goiás. “A ideia é criar esses Centros em todas as capitais do país o quanto antes. O mais importante é a possibilidade de fazer uma política integrada. A troca de informações é essencial para uma Segurança efetiva”, completa o executivo.

 

(Fonte: Convergência Digital)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!