Licitação de obras no Saboó inicia última fase

Os documentos sobre a capacidade técnica da construtora paulistana Capellano foram entregues à Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a Autoridade Portuária de Santos, na manhã de ontem. E já começaram a ser analisados. Essa avaliação integra a licitação realizada pela Codesp para contratar a remodelação do sistema viário do Saboó, na Margem Direita do complexo.

Segundo a Docas, não há um prazo para a conclusão dessa avaliação.

 

A construtora tem sua documentação estudada pois apresentou a menor proposta para o serviço, R$7.888.182,56. Se ela for aprovada nesta etapa, a Docas ainda terá aguardar cinco dias úteis, prazo dado às demais concorrentes para eventuais contestações. Se nenhuma manifestação ocorrer, a empresa poderá ser declarada vencedora da concorrência para a obra – que integra a série de intervenções previstas para a implantação da Avenida Perimetral da Margem Direita.

 

De acordo com a estatal, apenas a Capellano teve de entregar esses comprovantes, por ter sido a empresa selecionada pela comissão de licitação na análise de preço. Mesmo assim, representantes da Azzi S/A do Brasil, a segunda colocada no certame, também participaram da reunião em que foram entregues as informações.

 

Entre os documentos apresentados, está a descrição de serviços já realizados pela empresa, como exigido no edital de licitação.

O projeto de remodelação prevê a aplicação de massa asfáltica em todas as vias do Saboó. Quando concluído, elas serão ligadas aos 960 metros de pistas da Avenida Augusto Barata (o Retão da Alemoa) reformados pela Brasil Terminal Portuário (BTP). Essa operadora funciona às margens da via, que vai do Saboó até o Viaduto Paulo Benevides (o Viaduto da Alemoa).

 

Serão seis meses de trabalho no Saboó. A intervenção permitirá que todo o fluxo de entrada do Porto seja desviado da Avenida Antônio Alves Freire (continuação da Avenida Augusto Barata), que ficará exclusiva aos terminais da área.

Quando concluída a reforma, o sistema viário estará pronto para ser integrado ao trecho da Perimetral a ser construído entre a Alemoa e o Saboó, segundo a Companhia Docas. Essa obra tem previsão para ocorrer ainda este ano, uma vez que o projeto executivo foi concluído no semestre passado, informou a Autoridade Portuária.

 

Ponta da Praia

A Cappelano também participa de outro processo licitatório no Porto. A firma concorre para a implantação da parte da Perimetral da Margem Direita entre o Macuco e a Ponta da Praia. Para este serviço, ela pediu R$ 72,4 milhões. Tanto essa licitação como a do Saboó estão na mesma fase, a de análise de documentos que atestam a capacidade da empresa para a realização do serviço.

Mas diferente da disputa no Saboó, a obra no Macuco e na Ponta da Praia não deve começar de imediato. Segundo o diretor-presidente da Codesp, Angelino Caputo e Oliveira, a construção será retardada “até uma melhor definição do orçamento (da Docas)”, devido aos cortes orçamentários do Governo Federal.

 

O projeto de implantação desse novo trecho da Perimetral engloba a remodelação dos 3,5 quilômetros da Avenida Governador Mário Covas, do Canal 4 até o Corredor de Exportação. Também está prevista a construção de um viaduto em formato de Y, que disciplinará o tráfego de caminhões na via.

 

(Fonte: A tribuna)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!