Licitação da ETE Conquistinha entra na fase final nesta quarta

O presidente do Codau, Luiz Guaritá Neto, observou que o Codau se preparou para enfrentar melhor este período de seca, com novas adutoras

 

A licitação para conclusão das obras da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Conquistinha entra na fase final hoje, com abertura dos envelopes contendo as propostas de preços. Duas empresas estão na concorrência, tipo menor preço, e foram habilitadas para esta última etapa da licitação.

 

As firmas são a NWM Engenharia Eletrônica LTDA, de Curitiba (PR), e Sampa Saneamento Ambiental, de Itu (SP). A vencedora deverá concluir as obras da Estação, com fornecimento de materiais e equipamentos. A obra foi suspensa quando 60% das obras físicas estavam concluídas e 55% dos equipamentos adquiridos. A interrupção dos trabalhos se deu por falta de capital de giro da empresa Comar Engenharia, ganhadora da primeira licitação.

 

A atual licitação prevê obras para complementar as construções, montar e revisar equipamentos já adquiridos, além de instalar outros e realizar o período de operação assistida.

 

Abastecimento – Na segunda-feira (19), foi preciso fechar a distribuição de água do Centro de Reservação (CR) 3, no São Benedito, para a troca de um registro de água. Ontem, todos os dez CR’s amanheceram em atividade e distribuindo água para a cidade.

 

Sem nenhuma chuva neste mês de outubro, o abastecimento da cidade está dependendo em 50% da contribuição do rio Claro. A transposição acionada no final de setembro, hoje, conta com todas as três bombas ligadas para bombear água para o rio Uberaba.

 

O presidente do Codau, Luiz Guaritá Neto, observou que o Codau se preparou para enfrentar melhor este período de seca, com novas adutoras, interligações e instalação de registros estratégicos. “Estamos garantindo água pelo menos uma vez por dia para todos os bairros. Se temos que fechar um reservatório, não é por falta de água para suprir a demanda e, sim, pela necessidade de recuperar o seu nível. O consumo está alto e a recuperação dos reservatórios não acontece na mesma velocidade do consumo. Com isso, é possível, ainda nestes dias, termos que fazer essas manobras”, disse.

 

O presidente da autarquia lembrou que é preciso reduzir os gastos de água, evitando desperdícios. “Quanto mais cheio estiver o reservatório, mais pressão ele terá para distribuir água para as partes mais altas dos bairros e, se houver necessidade de fechar um ou outro reservatório, será por esta razão, para garantir democraticamente água para toda a cidade”, explicou.

 

Guaritá ressaltou ainda que há mais de 100 cidades mineiras em estado de emergência devido à seca. Juiz de Fora está racionando água deste outubro do ano passado. E Ituiutaba começou na última semana. “Em Uberaba, o Codau continua distribuindo água para todos os bairros”, finalizou o dirigente.

 

Demanda
MRV. O Codau recebeu demanda de moradores do condomínio Residencial Parque Ucrânia (rua Toniquinho dos Santos, 181- Guanabara), que reclamaram de falta de água desde o final de semana. Vistoria do Codau compareceu ao condomínio, domingo (18), e constatou que não há falta de água na rede que abastece o local, nem o hidrômetro está obstruído, impedindo a entrada de água. O abastecimento para os edifícios é feito a partir do Centro de Reservação 4 (Amoroso Costa), que está trabalhando normalmente e distribuindo água para a sua área de influência.

 

(FOnte: Jornal de Uberaba)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!