Itescs oferece ajuda a Sidão com TI

O Itescs (Instituto de Tecnologia de São Caetano) ofereceu ajuda ao presidente da Câmara Sidnei Bezerra da Silva, o Sidão (PSB), na licitação para contratar serviços de TI (Tecnologia da Informação). O ofício foi apresentado ontem à Comissão de Tecnologia da Casa.


Desde o ano passado, o comandante do Legislativo tenta firmar contratos no setor, mas não conseguiu. Foram três tentativas: as duas primeiras fracassaram por falta de documentação ou incapacidade técnica das licitantes e a última foi suspensa recentemente para mudanças no edital.


O presidente do instituto, Renato Grau, considerou que os certames de tecnologia necessitam de acompanhamento técnico por conta da complexidade do tema. “Estamos nos colocando à disposição gratuitamente para dar apoio, pois o tema requer acompanhamento técnico. É uma área dinâmica e sempre tem alternativas melhores”, disse.

A última licitação lançada por Sidão causou polêmica. Aberta em dezembro do ano passado para locação de diversos equipamentos de informática, a concorrência foi suspensa um dia antes da abertura dos envelopes, que estava marcada para quarta-feira. A Câmara justificou que pontos do edital serão modificados.


A Comissão de Tecnologia, formada por Beto Vidoski (PSDB), Fábio Palacio (PR) e Pio Mielo (PT), irá solicitar o cancelamento da licitação para que o Itescs ajude na formulação do texto de um novo certame. “Não há explicação para os vereadores. O processo está às escuras. Não sabemos o que é caro, barato, bom ou ruim. Com a consultoria do Itescs, tudo ficaria mais claro”, analisou o petista.


A principal reclamação dos vereadores é o alto valor apresentado na concorrência feita por Sidão. Se somados os cinco lotes, o custo mensal será de R$ 207,2 mil, o dobro do que é pago atualmente (R$ 99,4 mil mensais).


Palacio reiterou que a Câmara deve ser exemplo de economia e que o custo com informática não é prioridade. “A cidade vive um momento financeiro complicado. Pensar na tecnologia do Legislativo é legítimo. Porém, o que temos hoje nos atende e custa metade do que foi colocado. A população se preocupa mais com Saúde do que sistema de informática na Câmara”, disse o republicano.


Grau explicou que a consultoria do Itescs pode oferecer alternativas mais baratas ao que foi proposto. “A partir dos itens que estão no processo, vamos constatar quais são as necessidades. A partir desse mapeamento é possível encontrar saídas mais econômicas. Não estou falando que o edital atual está errado”, ponderou.


O ofício solicitando o cancelamento anexo ao documento do Itescs será encaminhado ao gabinete do presidente na segunda-feira. Não existe prazo legal para uma resposta do comandante da Casa.

(Fonte: Diario do Grande ABC)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!