Habilitadas em licitação serão divulgadas

Dentro de 15 dias, a Prefeitura de Mogi das Cruzes deve publicar o nome das empresas habilitadas no processo licitatório para definir quem vai operar o serviço de coleta e limpeza pública na Cidade. O custo atual deste serviço é de R$ 42 milhões por ano, mas deve subir para R$ 50 milhões com a nova operadora.

 

Cinco empresas apresentaram propostas, segundo a Administração Municipal. São elas: CS Brasil, do Grupo Julio Simões, Transvias Construções e Terraplanagem, Heleno & Fonseca Construtécnica – ambas da Capital –, Locar Saneamento Ambiental, de Pernambuco, e Vital Engenharia Ambiental S/A, do Grupo Queiroz Galvão, que pretendia abrigar um aterro sanitário no Distrito do Taboão.

 

“A Secretaria Municipal de Gestão Pública informa que a licitação está, neste momento, na etapa das análises técnica, financeira e de regularidade jurídica e fiscal das documentações apresentadas pelas cinco participantes. Este processo envolve as secretarias municipais de Serviços Urbanos, de Finanças e de Gestão Pública. A expectativa é de que dentro dos próximos 15 dias seja feita a publicação das empresas habilitadas.

 

A concorrência para a contratação de empresa especializada na execução de serviços de limpeza pública, coleta e destinação de resíduos sólidos foi aberta no dia 8 de janeiro. Para esse próximo contrato, que terá validade de apenas um ano, estão previstos o aumento do volume de serviços de capinação e a criação de uma equipe para a limpeza de monumentos, entre outras alterações. Ele pode até ser renovado por mais cinco vezes, porém, a cada renovação, os serviços poderão ser também alterados”, trouxe nota enviada pela Administração Municipal. (Lucas Meloni)

 

(Fonte: O Diario)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!