Governo lança licitação de 2,4 milhões moveis para a Sesapi

O Governo do Estado do Piauí lançou nesta terça-feira (03) um edital de licitação no valor de 2,4 milhões de reais para a aquisição de móveis e estofados, para a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi). Os objetos servirão para a nova sede a instituição que está sendo reformada, após o incêndio que atingiu o prédio há dois anos.

Para a compra de 211 mesas para escritório o Estado pretende gastar R$185.710,24, custando cada uma pelo valor de R$ 880,14. Na compra de 66 armários serão gastos R$ 81.775,09 cada peça custando R$ 1.239,01, o que pode ser adquirido no mercado pelo por cerca de R$ 500,00 em média.

Na aquisição de cadeiras giratórias para escritório serão desembolsados pelo Governo do Piauí mais de meio milhão de reais, custando cada uma R$ 1.268,68, o que no mercado custa em média 350,00 reais. No total, as 422 cadeiras custarão aos cofres públicos R$ 532.848,39.

Em uma única poltrona giratória a Secretaria de Saúde do Piauí pretende gastar R$8.908,52, o que se pagaria em uma loja que vende moveis para escritório o valor de no máximo RS 2,500 na mais cara.

O mobiliário servirá para a nova sede da secretaria, que esta sendo reformada, após um incêndio em outubro de 2011, que atingiu o prédio, que fica no centro administrativo. As causas do incêndio nunca foram divulgadas.

A respeito dos valores a Secretaria Estadual de Saúde lançou uma nota onde justifica, que os valores estão de acordo com os cobrados no mercado e como os valores são estimados, não serão obrigatoriamente adquiridos por esses preços. E que o objetivo do pregão é buscar o preço mais baixo.

Nota de Esclarecimento

A Secretaria de Estado da Saúde informa que os preços elencados no pregão 12/2013 para a aquisição de mobiliário para o novo prédio do órgão são estimados. Para isso, é feito uma pesquisa de mercado. Como se trata de valores estimados, não quer dizer que os itens serão adquiridos pelo preço estimado. O objetivo do pregão é justamente buscar a oferta mais baixa.

Antes de acontecer um pregão, todo o edital é avaliado pelos órgãos de controle como Procuradoria Geral do Estado (PGE). Ressalta-se que uma cópia do referido edital foi enviada ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A Sesapi informa ainda que, após o pregão, todos os itens são avaliados por um corpo técnico que, ao detectar alguma disparidade de valores, pode determinar o seu cancelamento.

(Fonte: Portal AZ)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!