Governo lança edital para licitação de nova maternidade

Uma nova maternidade estadual deve ser construída nos próximos anos em Teresina. A informação é da Secretaria Estadual da Saúde, que deve publicar o edital de licitação nesta segunda-feira(09), com previsão de orçamento em R$ 80 milhões para desafogar a Maternidade Dona Evangelina Rosa.

O governo garante que a maior parte dos recursos já está garantida e deve ficar pronta em dois anos, afirma o secretário Francisco Costa. “Com o lançamento do edital, esperamos que o processo tenha celeridade e num intervalo de aproximadamente dois anos, que é tempo previsto no cronograma, possamos construir essa importante maternidade, com uma estrutura mais digna tanto aos trabalhadores como para as mulheres e mães que precisam desse acompanhamento”.

Costa anuncia ainda que a estrutura da nova maternidade vai mais que dobrar a capacidade de atendimento em unidade de tratamento intensivo. Somente em UTI adulta, serão 20 unidades, assim como 30 leitos de UTI neonatal. Além desses, 45 leitos de Cuidados Intermediários e 20 de leitos Intermediários Canguru, que é um espaço para acolhimento de mãe e bebê. Portanto, serão 105 leitos para tratamento intensivo.

O espaço de acolhimento para um parto humanizado e melhores cuidados com mães e bebês conta ainda com a Casa de Gestante, Bebê e Puérpera, “uma estrutura o mais próximo possível de uma casa comum, que visa garantir a permanência de gestantes e puérperas de risco que exigem vigilância constante em ambiente não hospitalar, que não podem retornar ao domicílio, ou de mães que têm bebês internados na UTI, UCI ou na Unidade Canguru. Ou seja, uma estrutura que dá mais assistência aos cuidados com a mãe e bebê, permitindo que a mãe fique o mais próximo do seu filho”, explica o secretário.

A nova maternidade teve projeto inicial elaborado no segundo governo de Wellington Dias, na gestão do deputado federal Assis Carvalho, que garantiu parte dos recursos, e ainda por emenda da deputada federal Iracema Portela. À época, a maternidade seria construída nas imediações da Maternidade Dona Evangelina Rosa.

No governo do Wilson Martins (PSB), o projeto foi reformulado, onerando os custos iniciais, inclusive com mudança no local de construção. Por recomendação do Tribunal de Contas da União, a licitação foi cancelada.

A retomada do projeto se deu em 2015, quando a Secretaria de Saúde apresentou as adequações necessárias ao Ministério da Saúde e Caixa. A nova maternidade será construída no espaço onde atualmente funciona o Clube Tigrão, na zona leste de Teresina.

A nova maternidade:

Unidade de Pronto Atendimento

Duas salas de admissão

Seis leitos de observação

Seis consultórios de admissão, sendo dois deles com estrutura para instalação de aparelho de ultrassonografia e cardiotocografia

Unidade/Serviço de Atenção à Mulher Vítima de Violência de Gênero

Unidade de Internação de Baixa e Alta Complexidade

Dois Centros de Parto Normal – 10 leitos de parto, pós-parto

Enfermarias de Alojamento conjunto (mãe e bebê): 90 leitos

Enfermarias de Gravidez de Alto Risco: 60 leitos

UTI Adulto: 20 leitos

UTI Neonatal: 30 leitos

Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais (UCINCO): 45 leitos

Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCA): 20 leitos

Centro Cirúrgico Pediátrico/Neonatal: 04 salas

Centro Cirúrgico Obstétrico: 04 Salas

Centro Obstétrico: 06 Salas

Unidade de Medicina Fetal

Dotada de estrutura para ultrassonografia, cardiotocografia, estrutura cirúrgica básica para procedimentos de baixa complexidade

 

Fonte: Cidade Verde

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!