Governador e ministro lançam edital de licitação para barragem em MG

Barragem Congonhas será construída entre Itacambira e Grão Mogol. Convênio também libera R$ 10 milhões para obras de combate à seca.

 

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, lançaram nesta quarta-feira (10), em Belo Horizonte, edital de licitação para a construção da Barragem Congonhas, no Norte do estado. Serão investidos R$ 183 milhões. A cerimônia foi realizada no Palácio da Liberdade, sede simbólica do governo mineiro.

 

A usina da Barragem Congonhas, a ser localizada entre Itacambira e Grão Mogol, irá gerar energia e abastecimento de água em Montes Claros e cidades vizinhas, localizadas na Bacia do Rio Verde Grande e no Vale do Jequitinhonha. A previsão do governo é que 500 mil habitantes  da região sejam beneficiados. Há também a estimativa de criação de 20 mil empregos diretos e indiretos com a execução da obra.

 

O governador e o ministro, com a participação de secretários de estado, também assinaram convênio para a liberação de recursos para municípios atingidos pela seca nos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte do estado. Segundo a Defesa Civil, atualmente, 103 municípios estão em situação de emergência por causa do período de estiagem, sendo a maioria deles localizados nas regiões para as quais os recursos estão destinados.

 

O convênio prevê a liberação de R$ 10 milhões para medidas emergências contra a seca. “Esses recursos vão nos permitir dar suporte as iniciativas dos municípios para abastecimento de água, seja com caminhão-pipa ou com obras emergenciais, como pequenas adutoras”, explicou Pimentel.

 

Além das duas propostas, Gilberto Occhi e Pimentel citaram a expectativa de retomada das obras da Barragem Berizal, iniciada em 1997, e parada desde 2002. Segundo o ministro da Integração Nacional Gilberto Occhi, há reunião agendada para a próxima semana, para discutir a operacionalização dos recursos financeiros disponíveis para as barragens e obras emergenciais.

 

Segundo Occhi, apesar do corte de 17% da pasta, para ajuste fiscal, o recursos os convênios já está garantido. “Independentemente do ajuste fiscal que nós temos, o Ministério da Integração vai apoiar o estado de Minas Gerais, que tem obras estruturantes, obras importantes”, prometeu ele. A pasta, que tinha expectativa de R$ 4,7 bilhões, contará com R$ 3,9 bilhões.

 

Transposição do Rio São Francisco

O andamento do projeto de transposição do Rio São Francisco, águas que banham cinco estados, incluindo Minas Gerais, também foi citado pelo ministro. Occhi disse que 75% das obras já foram concluídas e os 25% restantes devem ser entregues até o fim de 2016.

 

O orçamento atual da obra é de cerca de R$ 8,2 bilhões em recursos federais, segundo o ministro. “Minas Gerais depende 70% das contribuições de nascentes para o Rio São Francisco”, pontuou Occhi ao citar a importância da obra para os mineiros.

 

Para este processo, serão priorizados quatro pontos: a preservação das nascentes; saneamento ambiental; preservação e reconstituição das matas ciliares; e acompanhamento dos processos erosivos.

 

Questionado sobre o impacto da investigação pela Operação Lava Jato, já que algumas empreiteiras citadas nas apurações do esquema de fraude trabalham na obra de transposição do rio, o ministro disse que não há impacto. “Nós tivemos o andamento da obra de maneira normal. É ima obra muito grande, uma obra muito complexa”, resumiu. Gilberto Occhi  disse ainda que há um plano de revitalização do rio para os próximos dez anos, a fim de evitar a degradação ambiental após a transposição.

 

(Fonte: G1)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!