Fiscalização nas obras é consenso entre candidatos

Apesar das trocas de acusações e de estarem em lados opostos, os candidatos Lúdio Cabral (PT) e Pedro Taques (PDT) concordam que é preciso que o próximo governo seja mais rigoroso no cumprimento das obras. Durante debate, os dois prometeram agir com austeridade no combate à corrupção, principalmente nas obras da Copa do Mundo.

 

Apesar de o evento ter ocorrido com tranquilidade na capital, muitas obras ficarão para o próximo governador e com problemas que vão desde a elaboração do projeto até a execução. Lúdio promete colocar em prática as punições às empreiteiras previstas na lei de licitação, como a proibição de contratar com órgãos públicos. Taques garante que fará uma varredura no governo para diagnosticar as falhas e punir os responsáveis.

 

O petista, aliado do governador Silval Barbosa (PMDB), garante que não fará “vistas grossas” e punirá a todos, mas ressalta principalmente a responsabilidade das empreiteiras que realizam as obras.

 

Lúdio destacou que pretende iniciar a fiscalização ainda no período de transição, quando fará relatórios detalhados para diagnosticar os culpados pelas falhas. Já Taques, com seu estilo herdado do período em que foi procurador da República, promete não varrer o lixo para baixo do tapete. Ele destaca que fortalecer a Auditoria Geral do Estado e demais órgãos responsáveis pelo controle do Executivo. Já adiantou que todos os contratos passarão por um “pente-fino” na sua gestão.

 

De acordo com ele, um levantamento nacional aponta Mato Grosso como o segundo pior no ranking de transparência. O candidato disse que fará uma auditoria nas dívidas do Estado, pois o valor exato ainda é desconhecido e lembrou que muitas dívidas contraídas devem começar a ser pagas a partir de 2015, ficando para o próximo gestor.

 

(Fonte: Diario de Cuiabá)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!