Estrutura temporária da Arena Pantanal custará R$ 50 milhões

A Secretaria Extraordinária da Copa 2014 (Secopa) vai realizar dia 6 de março próximo a licitação na modalidade Regime Diferenciado de Contratações (RDC nº 001/2014) – sem exigência de capacidade técnica – para contratação da empresa que será responsável pela montagem e desmontagem das estruturas temporárias dentro e no entorno da Arena Pantanal. O serviço deve custar em torno de R$ 50 milhões – média gasta nos estádios brasileiros que sediaram a Copa das Confederações – e não terá financiamento da Fifa.

O processo licitatório já possui pelo menos 4 mil arquivos em PDF, como mostra o portal da Secopa, tamanha a quantidade de itens que estão sendo licitados e que seriam necessários para garantir uma infraestrutura temporária à altura das exigências da Fifa.

Dentre os mais de 500 itens que devem constar na planilha de preços aparecem 2.381 assentos, cerca de 200 aparelhos de ar-condicionado, 1.800 tomadas de diferentes tipos, 290 extintores, dentre outros.

E as edificações de caráter temporário devem seguir à risca as normas estabelecidas na nota técnica assinada pela Comissão Especial de Segurança Pública da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

Dentre as especificações para as edificações cuja estrutura seja desmontável a nota técnica cita, para evitar e conter incêndios, por exemplo, a exigência das Anotações de Responsabilidade Técnica (ART) referentes às estruturas provisórias como palcos, arquibancadas, tendas, camarotes, estruturas suspensas e outros, além das instalações elétricas a exemplo de iluminação, sonorização, grupo moto-gerador, equipamentos e outros.

FIFA – O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou esta semana, em entrevista coletiva em Brasília, que a entidade não vai arcar com o custo de estruturas temporárias no entorno dos estádios da Copa do Mundo. O debate sobre o tema ameaça Porto Alegre, uma vez que o Internacional não deseja arcar com os custos destas obras no entorno do Beira-Rio. “O que posso dizer é que um estádio da Copa não pode ficar sem estrutura”, disse. “Se a Fifa vai pagar, a resposta é não”, complementou Valcke.

 

Prazo de licitação das estruturas temporárias não é suficiente, diz Crea

Na licitação para estrutura temporária lançada pela Secopa, há cerca de 500 itens na lista, e a empresa que concorrer ao edital terá apenas 24 dias para elaborar o projeto, considerando a data inicial de 10 de fevereiro, quando foi dada a abertura do edital. Caso cumpra todas as especificações, o novo desafio será deixar tudo pronto em dois meses para o início dos jogos.

Para o representante do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado (Crea-MT), o engenheiro André Luis Shuring, a lista da Secopa é extensa e cada item ainda exige vários materiais, como mais de 3 mil cadeiras temporárias, com isso fica complicado cumprir todas as exigências e os prazos antes do início dos jogos.

“Esse mesmo tipo de estrutura foi requisitado em 2010 nos Jogos Olímpicos em Londres, na época o país começou a trabalhar com nove meses de antecedência para poder dar conta. Então, acredito que é difícil uma empresa cumprir com todos os requisitos, ainda mais se for se levar em consideração o padrão Fifa que deve ser obedecido”, argumenta Shuring.

O engenheiro ainda lembra que não é apenas Cuiabá que está requisitando as estruturas temporárias. Logo, como todas as sedes também terão a mesma necessidade, o prazo até maio para a instalação pode não ser suficiente.

Secopa garante que há tempo hábil para licitação

A Secopa garante que tanto o prazo para as empresas apresentarem a proposta de instalação da estrutura externa como o tempo para deixar tudo pronto antes dos jogos é suficiente, pois as empresas que pretendem atender à demanda já têm experiência na área.

De acordo com a assessoria da Secopa, os prazos são garantidos devido à Copa das Confederações que já ocorreu no Brasil em 2013 e por algumas empresas já terem realizado o mesmo tipo de serviço na época.

Com relação ao valor dos custos para instalar essa estrutura, a secretaria informou que há um valor estimado, mas não é aberto para que não influencie as empresas que vão concorrer ao edital, e quem ganhar irá receber toda a verba vinda dos cofres do Governo Estadual.

 

(Fonte: Circuito MT)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!