Estado prioriza pregão eletrônico e economiza em licitações

O Governo do Estado de Mato Grosso, ao contrário do que era praticado em outras gestões, vai priorizar as licitações por meio da modalidade de Pregão Eletrônico por ser mais vantajosa e provocar uma disputa saudável entre empresas de todo o país.

 

O secretário de Gestão do Estado, Julio Cezar Modesto, aderiu ao sistema como forma de cumprir os objetivos de transparência e economicidade estabelecidos pelo governador Pedro Taques. Exemplo disso foi o pregão eletrônico Nº 023/2015, para locação de veículos administrativos, como cita o secretário.

 

“No último pregão realizado para veículos administrativos, em 2012, apenas sete empresas puderam participar do pregão presencial. Agora tivemos alguns lotes com 15 concorrentes. O resultado disso foi uma redução de R$ 25 milhões em relação ao preço estimado, que era de um pouco mais de R$ 60 milhões”, explicou Julio Modesto. O resultado do pregão será publicado no Diário Oficial na próxima semana.

 

A modalidade pregão eletrônico, estabelecida pela lei 5.450 de 2005, foi a forma encontrada para que se alcançassem empresas de todo o território nacional, sem causar gastos aos competidores, que precisavam se deslocar para a cidade-sede dos pregões presenciais. Além disso, todo o processo é feito online e qualquer pessoa pode acompanhar de seu próprio computador, especialmente a própria população que, assim, pode avaliar a lisura dos procedimentos licitatórios.

 

O superintendente de Aquisições da Secretaria de Gestão, Ruy Fonseca, destaca as mudanças feitas no sistema de aquisição para que a modalidade se tornasse a principal ferramenta para as novas licitações da administração estadual. “Nós usamos nosso próprio sistema de aquisições e o estamos implementando diariamente para que fique cada vez melhor. Além disso, também atualizamos nossos pregoeiros segundo as novidades que vêm surgindo na legislação”, explicou.

 

A Secretaria de Gestão conta, atualmente, com o trabalho de sete pregoeiros. Erick Ribeiro, pregoeiro há três anos, afirma que o pregão eletrônico não deixa dúvidas sobre o procedimento. “Qualquer pessoa pode acompanhar o pregão em tempo real pelo computador. E isso não deixa dúvidas ao processo, além de preservar o nosso trabalho. É muito mais vantajoso”, avaliou.

 

“O Pregão Eletrônico é muito bem visto por todo o Brasil e Mato Grosso era um dos poucos que ainda defendiam o pregão presencial. Eles não deixarão de ser feitos, mas será em proporção menor. Esse novo sistema garante lisura tanto ao Estado, quanto aos licitantes e o maior beneficiado é o mato-grossense”, finalizou o secretário de Gestão, Julio Cezar Modesto.

 

(Fonte: Folha Max)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!