Entrada de Santos terá obras em 2016

Com R$ 290 milhões já aprovados, Prefeitura inicia intervenções sem Estado e União; licitação da primeira etapa sai em setembro

 

A Prefeitura de Santos não vai mais esperar o Estado e a União para iniciar as obras que devem desafogar a entrada da Cidade.

 

Com R$ 290 milhões já aprovados em financiamento com a Caixa Econômica Federal (CEF), a equipe do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) fez readequações na parte que cabe ao Município para começar as obras no início de 2016. As intervenções municipais serão divididas em duas partes.

 

A primeira licitação deve ser publicada no mês que vem. A obra está orçada em R$ 50 milhões e tem prazo de um ano. Ela prevê uma reformulação viária nos bairros que ficam no entorno da Via Anchieta e em outras ruas da Zona Noroeste. A intenção é criar 18 quilômetros de rotas de fluidez para o trânsito.

 

Em vias do Jardim São Manoel,Bom Retiro e Rádio Clube serão implantados corredores de ônibus e ciclovias. O trabalho inclui, ainda, novos pontos de ônibus padronizados,microdrenagem, pavimentação, reforma de calçadas e troca de toda iluminação pública por lâmpadas de LED, mais potentes e econômicas.

 

Suporte às obras menores

Essas obras serão fundamentais para dar suporte às intervenções maiores, da segunda licitação, que será iniciada em dezembro. Fazem parte dela uma ponte transpondo o Rio São Jorge, ligando o São Manoel ao Rádio Clube, e um viaduto que sai da Avenida Martins Fontes e faz curva para a Avenida Nossa Senhora de Fátima, com a parte de baixo iluminada por LED.

 

Essa etapa custará em torno de R$150 milhões e será entregue em dois anos. “A ponte sobre o Rio São Jorge fará a conexão do São Manoel com a Rua Júlia, dando acesso à Nossa Senhora de Fátima. Os caminhões (que vão para aquela área), poderão sair antes da entrada da Cidade. No Dique da Vila Gilda (Rádio Clube),criaremos a Avenida Beira-Rio, será um importante ponto de deslocamento para as avenidas Jovino de Melo e Hugo Maia”,diz o prefeito.

 

Barbosa acha que essa parte da Prefeitura, quando concluída, já deve aliviar o trânsito. “Vai melhorar muito. Com o viaduto, vamos eliminar o semáforo da entrada da Cidade, garantindo a fluidez de quem vai para São Paulo ou chega em Santos. Também vamos elevar o nível do solo para resolver os problemas das enchentes ali”.

 

Parceria

Os projetos para melhorar o fluxo na entrada de Santos foram feitos em parceria da Prefeitura com os governos Estadual e Federal. O total passa de R$ 600 milhões. O convênio foi assinado em 2013, definindo intervenções, responsabilidades e recursos para a execução.

 

Para o Governo do Estado ficou um viaduto ligando o bairro Piratininga à marginal da Anchieta, a criação do binário viário nessa marginal, a duplicação da Ponte do Rio Casqueiro e mais um viaduto colado no atual Elefante Branco. O montante seria de quase R$ 200 milhões, mas os projetos ainda não foram finalizados.

 

Já a União faria mais acessos ao Porto, para resolver o problema dos caminhões. Construiria alças e acessos para o Viaduto da Alemoa e dele para a Anchieta, além de um viaduto da Anchieta direto para a Avenida Augusto Barata (Perimetral).

 

Também custaria perto de R$ 200 milhões e não tem prazo informado. “Nós pleiteamos que o nosso projeto, por estar mais adiantado, tivesse independência em relação aos demais. Conseguimos as licenças ambientais específicas e está tudo pronto para as licitações”, garante o chefe do Executivo santista.

 

(Fonte: A tribuna)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!