Empresa suíça vence licitação de teleférico em Ribeirão

A empresa suíça Rowena AG venceu o processo de licitação para o sistema de tecnologia do teleférico de Ribeirão Pires. O prefeito Saulo Benevides (PMDB) e o secretário de Obras do município, José Carlos Agnello, estiveram com representantes da companhia europeia na última semana. O valor do edital, encerrado no início do mês, é de R$ 14,2 milhões.

 

Responsável pela segunda parte das obras – que contempla a parte de equipamentos – a Rowena irá fornecer as gôndolas para o teleférico. Além disso, os europeus também irão ficar encarregados de disponibilizar cabos de sustentação e estações. A empresa já prestou serviços semelhantes no Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro e Aparecida (Interior de São Paulo).

 

Marcelo Liochi, diretor de Turismo de Ribeirão Pires, citou que o fato de nenhuma empresa do País ter tecnologia para construir o teleférico causou extensão do projeto. “Essa apuração e estudo fizeram com que chegássemos à conclusão de que não existe alguma companhia brasileira com a tecnologia que queremos, então tivemos que recorrer a empresas europeias. Uma vez que não há fornecimento desta tecnologia, nesta qualidade, com certificação aqui no território nacional, nossa pesquisa levou em conta tecnologias europeias”, justificou Liochi, em entrevista ao Diário, em abril.

 

Apesar do prazo de 18 meses se encerrar em março de 2017, Saulo disse estar confiante para entrega antes do previsto. “Estou trabalhando para que a obra seja concluída ainda na minha gestão. Penso que podemos conseguir isso, porém o mais importante foi ter conseguido começar”, argumentou o chefe do Executivo.

 

As obras do teleférico foram iniciadas no dia 3 de setembro, com a construção do Parque Temático Fordlândia. Com investimento da ordem de R$ 25 milhões, sendo R$ 14 milhões do governo do Estado e R$ 11 milhões do governo federal, a obra será dividida em três etapas e o prazo de entrega é de 18 meses.

 

O início das intervenções foi acelerado para que a cidade não corra risco de perder a verba do Dade (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias), do governo estadual. Atualmente, 67 municípios são considerados estâncias por lei. Essas cidades recebem aporte do órgão todos os anos para empenho em atrações de fomento ao turismo.

 

O Ministério do Turismo foi quem liberou o aporte financeiro para o teleférico. O restante é proveniente da verba do Dade. Em 2013 e 2014, Ribeirão recebeu R$ 4,5 milhões em cada ano. Já em 2015, o valor subiu para R$ 5 milhões.

 

O projeto, que visa atrair turistas de todas as partes do Estado, interligará a região central do município ao Parque Milton Marinho de Moraes, passando pelo Mirante Santo Antônio, chegando às margens da Represa Billings. A obra estrutural do teleférico iniciada está a cargo da Construtora Cappellano.

 

(Fonte: Diario do Grande ABC)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!