De olho em 2014, Alckmin foca agenda em transporte

Em busca da reeleição, o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) irá ampliar a sua presença em eventos na região metropolitana de São Paulo e priorizar dois temas nos compromissos públicos de 2014: transportes e mobilidade urbana.

A estratégia tem duas justificativas: a Grande São Paulo é onde o governo estadual tem sua pior avaliação e pesquisas internas mostram que PSDB e PT são mal avaliados nas duas áreas citadas.

Pesquisa Datafolha de junho mostrou que o transporte público teve a pior avaliação dos últimos 26 anos na capital. O sistema (que inclui ônibus, metrô e trem) foi considerado ruim ou péssimo por 55% dos entrevistados. O tema, que motivou os protestos de junho nas grandes cidades e levou o governador a cancelar o reajuste da tarifa do metrô, predominou na agenda de Alckmin no segundo semestre de 2013.

Levantamento da Folha sobre a agenda oficial de Alckmin mostra que dos 319 compromissos do tucano no período, 79 (25%) estavam relacionados à área dos transportes -lançamento de licitações para ampliar linhas de metrô e trem, visitas a obras de recuperação de rodovias, criação de ciclovias etc.

Para focar-se no setor, o governo estadual também vem enfatizando que “realiza a maior obra simultânea do Metrô”. Ao todo, estão em fase de obras ou de licitação sete linhas do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

HABITAÇÃO

Em dezembro, o governador intensificou sua agenda, chegando a 71 compromissos, recorde para o segundo semestre de 2013. Foram, então, priorizadas as entregas de casas do Programa Estadual de Habitação Popular. Houve ocasiões em que Alckmin viajou para até quatro cidades num mesmo dia para inaugurar unidades do programa.

Para o primeiro semestre deste ano, a ideia da equipe de governo é combinar lançamentos e entregas dessas obras com mais compromissos na Grande São Paulo.

Uma dessas visitas deve ser para anunciar a licitação da construção da linha 18 do Metrô, que ligará a capital ao ABC paulista.

No segundo semestre de 2013, após denúncias de cartel nas licitações de trens e do Metrô, o tucano pulverizou sua agenda oficial pelo interior do Estado. Foram 183 compromissos fora da capital, 47 a mais que na cidade. Na avaliação de um marqueteiro próximo ao PSDB, o objetivo era recuperar a aprovação positiva do governo inicialmente nas cidades pequenas e médias, onde tradicionalmente o eleitorado é mais simpático a Alckmin. Neste ano, as visitas à região metropolitana serão intensificadas.

SAÚDE

Em terceiro lugar na lista de temas mais frequentes na agenda oficial de Alckmin na segunda metade de 2013, o setor da saúde também estará no topo das atenções do governador em 2014, quando ele deve enfrentar o então ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT), entre outros candidatos, na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes.

De julho a dezembro, o tucano teve 43 compromissos na área, que incluíram entrega de equipamentos, reforma de hospitais e doações de ambulâncias para municípios com até 50 mil habitantes.

Em outubro, Alckmin anunciou medidas de valorização dos funcionários do setor, como gratificação no salário de médicos que atuam em regiões de difícil acesso. Para petistas, a medida se contrapõe ao programa Mais Médicos, que se tornou uma das vitrines da gestão Padilha no Ministério da Saúde.

Por: PATRÍCIA BRITTO
(Fonte: Folha SP)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!