Consórcio vence licitação do Fronteiras

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) realizou na tarde da última terça-feira, a primeira licitação para construção da Barragem Fronteiras, em Crateús. O certame teve como vencedor o consórcio da empresa GPO (Gestão de Projetos e Obras Ltda), composto pelas empresas Construtora Sanenco Ltda, Mecanorte Construções e Empreendimentos Ltda e Nova Luz Serviços de Itabira Ltda, com o valor de R$ 164,5 milhões. Dois consórcios empresariais participaram do certame.

O Dnocs avaliará a documentação e nesta sexta-feira deverá homologar o processo. Em breve, deverá iniciar a obra de construção da barragem. Outras licitações serão feitas para a execução de ferrovias e outros serviços que compõem a obra. Com as obras da barragem e a construção de trechos de rodovia e ferrovia, o orçamento da barragem totaliza R$ 294,4 milhões. A barragem integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Terá capacidade de acumulação de 488 milhões de metros cúbicos de água, proporcionando o abastecimento de cerca de 40% da população urbana de Crateús e 20% da população rural. O volume hídrico será o sexto maior do Ceará.

Uma grande comitiva esteve presente à licitação no auditório do Dnocs, formada por autoridades do Poder Executivo e Legislativo de Crateús (prefeito Carlos Felipe, de Crateús, e prefeito de Ipaporanga, Antônio Melo), bem como secretários municipais e produtores dos distritos de Ibiapaba, Poty, Assis e Curral Velho, membros do Comitê de Apoio aos Produtores da Região do Lago de Fronteiras, que acompanha o processo para a construção da obra.

O Dnocs informa ainda que prevê para o próximo ano licitar e contratar as empresas que executarão os desvios dos trechos a serem inundados pelas águas do reservatório, de modo a garantir o tráfego da rodovia e ferrovia antes da entrega da obra no final de 2014 para receber as primeiras águas. Também já foi iniciada a desapropriação das benfeitorias e cobertura vegetal em área rural com R$ 9 milhões para as primeiras famílias.

A barragem é a primeira a represar o curso do rio Poty e é aguardada com muita expectativa pela população de Crateús e região do entorno.

Com abastecimento de água e irrigação de 6 mil hectares será beneficiada uma população de 80 mil pessoas no município, promovendo a redenção hídrica de uma das regiões mais secas do Estado. Para o coordenador da Defesa Civil de Crateús, Teobaldo Marques, que nos últimos dois anos convive com o desafio de suprir, em nível de município, o abastecimento de água de milhares de famílias no município, a obra “trará a redenção hídrica da região”. Após a licitação da construção, o coordenador diz que a obra agora está mais próxima.

Solução

“Com essa etapa vencida, vejo o açude mais próximo da nossa realidade. Será muito útil para as próximas secas que, com certeza, essa região viverá. Com o Fronteiras construído, concluído e bons invernos, Crateús estará servido de água e não mais enfrentará dificuldades como essas, além de possibilitar projetos de irrigação”, destaca Marques.

Uma das contribuições do Fronteiras será a perenização do Rio Poty, com a contenção de enchentes e regularização do curso d´água. Piscicultura e fruticultura serão possíveis quando a barragem adquirir volume de água, cujos resultados serão sentidos diretamente no crescimento da agricultura familiar na região do rio Poty. Os distritos de Poty, Ibiapaba, Assis e Curral Velho, em Crateús, serão os mais beneficiados com a obra.

Por: Silvania Claudino
(Fonte: Diario do Nordeste)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!