Compras de instituições públicas devem ocorrer no comércio local

Um trabalho iniciado pela Secretaria Municipal de Indústria e Comércio em conjunto com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa) começa a dar passos mais longos com o apoio da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Umuarama (Aciu). Com o objetivo de alavancar as vendas do comércio local, está nascendo o projeto Compras

 

Umuarama – com base no Compras Paraná, já desenvolvido em algumas das grandes cidades paranaenses.

 

 

O secretário Rômulo Rauen (Indústria e Comércio do município) explica que o foco é aproximar os fornecedores – indústria e comércio de Umuarama e região – de grandes compradores públicos, que utilizam tomadas de preço e licitação para aquisição de produtos e serviços. “Essa ideia nasceu dentro do Programa Cidade Empreendedora, de onde surgiu o comitê gestor de políticas de apoio às micro e pequenas empresas, que hoje representam cerca de 98% da totalidade de empresas no país e empregam quase 80% de toda a mão de obra”, lembrou o secretário.

 

Na manhã terça-feira, a proposta foi apresentada a representantes dos compradores – como a Prefeitura, Secretaria de Estado da Saúde, Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cisa-Amerios), empresas do sistema ‘S’ (Senac, Senai, Sesc e o próprio Sebrae), Cohapar, Copel e Sanepar, entre outras, durante reunião na Aciu.

 

De acordo com o consultor do Sebrae, Adriano Pereira da Silva, o próximo passo é apurar quanto estas instituições compram em material e serviços fora de Umuarama, e definir o percentual deste volume que pode ser direcionado ao comércio local. “O dinheiro dessas aquisições, que hoje é drenado para outros centros, pode ficar na cidade a contribuir para o nosso desenvolvimento econômico e social”, avaliou.

 

Numa próxima etapa, o Sebrae reunirá representantes de empresas potenciais fornecedoras de instituições públicas e tentar derrubar as barreiras que as separam dos compradores. “A maior delas é a falta de informação e também o receio de participar de licitações, por motivos diversos”, disse o consultor. O Sebrae também dispõe de pesquisas que apontam grande interesse das empresas em vender para órgãos e instituições públicas, além das dificuldades manifestadas por elas.

 

Do outro lado, os representantes dos compradores demonstram preferência e interesse em privilegiar fornecedores locais. “Além do dinheiro das compras ficar na cidade, promovendo o desenvolvimento, os fornecedores locais são mais rápidos e acessíveis”, lembrou o secretário Rômulo Rauen.

 

No próximo dia 7 haverá palestra sobre como reter a renda e as riquezas no próprio município, às 8h30 na sede da Aciu. O Sebrae planeja ainda dois cursos de 15h para empreendedores de micro e pequenas empresas e oficinas para compradores.

 

 

(Fonte: Ilustrado)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!