Complexo da Fiat abre edital de licitação para empresas do setor energético

As empresas interessadas em construir a infraestrutura para o abastecimento energético do polo automotivo ancorado pela Fiat Chrysler, em Goiana, Zona da Mata Norte, já podem acessar o edital de licitação no site. O certame, que será aberto no dia 18 de agosto, vai escolher a empresa ou o consórcio responsável pela implantação de uma linha de transmissão de 230 kilovolts (Kv). O sistema atenderá a demanda da fábrica durante sua operação, prevista para iniciar no fim deste ano. O valor estimado do contrato de 15 meses é de R$ 62 milhões.

 

As obras de implantação do sistema de abastecimento de energia elétrica para o complexo industrial da Fiat Chrysler preveem as instalações de duas subestações mais serviços de adequação na subestação Pau Ferro localizada em Igarassu, Região Metropolitana do Recife. O equipamento pertencente à Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) foi inaugurado em 2002 para abastecer os municípios de Nazaré da Mata, Carpina, Limoeiro, Paudalho, Surubim, São Lourenço da Mata e Bom Jardim.

 

A licitação que seguirá a modalidade de concorrência, do tipo menor preço, será conduzida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Sdec) e deve durar cerca de 60 dias. “Trata-se de mais uma contrapartida do Governo do Estado para a Fiat. Esta obra permitirá mais competitividade à fábrica, uma vez que a montadora terá seu próprio abastecimento energético”, afirmou o secretário Márcio Stefanni Monteiro. O prazo para a execução das obras será de 390 dias após a assinatura da ordem de serviço.

 

Atualmente a demanda de energia da Fiat Chrysler é suprida por outra “ajuda” do Governo. No ano passado, o Executivo firmou um contrato com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para garantir o insumo a partir de uma linha de transmissão de 69 Kv. O contrato custou aos cofres públicos R$ 716 mil.

 

Cronograma

As obras físicas do polo automotivo já estão 85% concluídas. As linhas de prensa, responsáveis por transformar chapas de aço empeças para carrocerias dos automóveis, estão em fase de testes, seguindo o ritmo acelerado do cronograma da montadora. Ao lado do centro de comunicação da Fiat Chrysler estão sendo erguidos os 12 prédios que abrigarão as 16 empresas fornecedoras. Elas serão responsáveis por 40% da demanda de partes e componentes. O investimento será de R$ 2 bilhões.

 

O complexo da Fiat Chrysler no Estado está orçado em R$ 7 bilhões, incluindo fábrica, pista de testes, centro de engenharia e as empresas sistemistas. A unidade terá capacidade para produzir 250 mil veículos por ano e 120 mil motores.

 

(Fonte: Paraiba Total)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!