Comissão de moradores vai fiscalizar licitação

A Associação de moradores do bairro Piazza di Roma e Adjacências, na zona oeste de Sorocaba, formou uma “comissão de fiscalização”, como classifica Manoel Borges, 69, presidente do movimento, para acompanhar o processo licitatório e as obras de uma futura escola no local. “Há anos estamos aguardando a conclusão dessa unidade de ensino e por isso decidimos acompanhar tudo mais de perto,” explica.

 

Morador de Sorocaba há cinco anos, Borges conta que ao chegar à cidade notou carência em diversos setores e por isso criou a Associação. “Muitas mães nos procuravam para reclamar sobre a falta de escolas aqui na região e desde então começamos a procurar pelo poder público,” relata. Segundo o morador, ele procurou por diversas autoridades, entre vereadores e secretários. “Nos prometeram que essa escola seria colocada no orçamento do município no segundo ano de governo do atual prefeito, Antonio Carlos Pannunzio, e realmente isso foi feito, mas todo o processo é muito lento”, reclama.

 

A Secretaria da Administração (Sead), informou, por meio de nota, que o processo de licitação está na fase de julgamento das propostas apresentadas, sendo que seis empresas foram habilitadas após análise da documentação pela Comissão Permanente de Licitações da pasta. Segundo a Sead, a licitação é do tipo menor preço global, ou seja, a empresa que apresentar o menor valor fará o serviço. O investimento estimado para a implantação da unidade é R$ 7.473.501,05. Porém, o custo real da obra só será conhecido após o término da licitação.

 

Borges conta que todo o processo tem sido acompanhado pela Associação e que o fato de que não haver a presença de nenhum representante das empresas concorrentes no dia da entrega das propostas intrigou os moradores. “A impressão que dá é que ninguém está interessado.” Ainda não há prazo para conclusão dos trâmites da licitação e após assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço, o prazo para o término da obra é de 18 meses.

 

De acordo com a Secretaria da Educação (Sedu), a unidade escolar ficará na rua Nelson Guimarães e atenderá 1.200 alunos do 1º ao 5º ano. A Escola terá dezesseis salas de aulas, sala multiúso e de leitura, um laboratório de informática, cozinha e cantina, além de quadra poliesportiva coberta. Também haverá vestiários para alunos e funcionários.

 

(Fonte: Cruzeiro do Sul)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!