Com atraso, prefeitura de Florianópolis deve lançar a licitação do trecho sul do anel viário

Projeto contempla corredor exclusivo para ônibus e ciclovia

 

Uma nova realidade de sistema de BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, em Florianópolis promete sair do papel nos próximos dias. Pelos primeiros prazos estabelecidos em contrato, a obra deveria ter começado ainda em 2013. Após sucessivos atrasos para adequação do projeto, nesta semana a prefeitura deve lançar a licitação do Anel Viário Trecho Sul. Outro impasse, a cessão do terreno para a duplicação da rua Deputado Antônio Edu Vieira pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), também promete ser concretizada nos próximos dias. O trecho compreende a primeira etapa do projeto e dependia de condicionantes estabelecidas pela instituição.

 

Na tarde de sexta-feira, o Conselho Universitário da UFSC esteve reunido para fazer os últimos ajustes no relatório a ser encaminhado para a prefeitura. As contrapartidas acordadas para a cessão do terreno deverão seguir cronograma de execução. A duplicação da via deve mexer com toda a parte central de Florianópolis.

 

O valor do investimento é de R$ 37 milhões. Segundo o secretário de Obras, Rafael Hahne, o prazo contratual para iniciar os trabalhos é até metade de 2016, mas a expectativa é começar no final deste ano.

 

Projeto prevê corredor de ônibus e ciclovia

O projeto que prevê a duplicação da Edu Vieira abarca também um corredor de ônibus exclusivo, ciclovias e calçadas. No trecho, será construído o primeiro elevado somente para ônibus. Ele terá 7 metros de largura e duas pistas de transporte coletivo.

 

— Esse sistema BRT promete inverter a lógica do transporte em Florianópolis, em que irá priorizar o transporte coletivo ao invés do carro. Mas é importante dizer que será adaptado aos poucos. A principio irá funcionar no modelo atual e vamos implantando as mudanças aos poucos, este é o grande desafio — diz o secretário.

 

Desde março o projeto dependia de aprovação da Caixa — com a liberação, na última semana, a ordem de serviço deve ser liberada em 60 dias, após o lançamento do edital. Já a duplicação da rua Edu Vieira depende das desapropriações e a liberação do terreno por parte da UFSC. Nesta semana, a universidade deve encaminhar o relatório final com o cronograma de execução das diretrizes acordadas.

 

Cerca de 80 propriedades ao longo da Edu Vieira estão mapeadas para serem desapropriadas. Com a liberação do projeto, a secretaria de Obras deve entrar em contato com os proprietários. As desapropriações fazem parte do processo de ampliação da via, que deve ocorrer em até três anos.

 

Anel Viário Trecho Sul

Extensão total: 7,4 km
Ponto inicial: proximidades da rua João Pio Duarte (entrada do Córrego Grande)
Ponto final: avenida Paulo Fonte (Ticen).
Valor total: R$ 37 milhões
Início da obra: dentro de 60 dias
Prazo da obra: 36 meses (três anos)
Total de desapropriações: 75

Trecho 1: do início do Córrego Grande até Armazém Vieira (1,9 km)

O que será realizado neste trecho:
l Duplicação da Deputado Edu Vieira
l Corredor exclusivo para ônibus
l Primeiro elevado somente para o transporte coletivo (imediações da Eletrosul)
l Calçadas
l Ciclovia

 

Trecho 2 : Armazém Vieira até Ticen

Passa pela avenida Waldemar Vieira, rua Jerônimo José Dias, Jose Maria da Luz, Silva Jardim, Jorge da Luz Fontes e avenida Paulo Fontes
l Recapeamento
l Calçadas e corredor para ônibus

 

(Fonte: Diario Catarinense)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!