Caern abre licitação de R$ 504 milhões

A Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) deve iniciar  um processo de licitação no valor de R$ 504 milhões nesta próxima semana. O montante será utilizado na universalização do sistema de saneamento básico de Natal e fazem parte do Plano de Ação do Governo do Estado, Sanear RN. O recurso é garantido pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur).

 

 

A expectativa é de efetivar o contrato em até três meses e iniciar a obra um mês depois, no caso, em julho deste ano, expõe Geny Formiga, gerente de Controle de Empreendimentos da Caern. As áreas a serem atendidas com o projeto se concentram na zona Sul (Cidade Satélite, Candelária, Mirassol e Lagoa Nova) e na zona Norte (Potengi, Redinha, Pajuçara, Nossa Senhora da Apresentação, Lagoa Azul e Salinas). O serviço será divido em quatro etapas com cronograma de prioridade ainda a ser definido.

 

 

O Governo do Estado conseguiu garantir o valor de R$ 954,4 milhões no PAC 1 e 2 e no Prodetur, mas até o final de 2013 apenas 37,13% do recurso tinha sido utilizado. Somente em Natal, a Caern dá andamento a obras de esgotamento em 10 bairros, contemplando as bacias E, F, K e L, totalizando R$ 137,4 milhões dos recursos investidos. A previsão de término destas obras é para o segundo semestre de 2015.

 

 

Segundo Isaías Costa, Gerente de Desenvolvimento Operacional e de Controle de Perdas da Caern, no período de 2008 à 2011, a estimativa de cobertura da rede de esgoto permaneceu em 32%. Os avanços iniciados em 2011 ainda despontam timidamente. Hoje, se calcula que 36,7% de Natal tenha acesso a uma rede coletora de esgotos. Com as obras já em andamento, a empresa espera alcançar a medida de 72,2% de saneamento em Natal até 2015.

 

 

A efetivação de um adequado esgotamento sanitário é uma preocupação não somente para a infraestrutura básica da cidade, mas de saúde pública. Em Natal, de acordo com a pesquisa “Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da População”, da organização Trata Brasil, a cada 100 internações por diarreia, uma média de 60 delas são de crianças menores de 5 anos, com dados de 2011. A pesquisa revela que não houve avanço na diminuição dos índices em quatro anos. Em 2008, a média era de 61,5% e no último ano de coleta da pesquisa, em 2011, os dados permaneciam em 60%.

 

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado. Destas mortes, 84% são de crianças. No Brasil, em 2011, 396.048 pessoas foram internadas por diarreia; destas, 138.447 foram crianças menores de 5 anos (35% do total). A segunda maior causa de mortes em crianças menores de 5 anos de idade, segundo a Unicef.

 

 

De acordo com Ewerton Brito, mestre do Departamento de Sáude Pública da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, os dados são preocupantes visto que as doenças, como a diarreia, acometidas, principalmente, pela falha no  esgotamento sanitário, são evitáveis se investido no serviço estrutural. “É um gasto na saúde que podia ser evitado pela boa estruturação da cidade”.  Segundo o Instituto Trata Brasil,  cada internação custa, em média R$ 350,00. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade.

 

 

(Fonte: tribuna do Norte)

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!