Audiência pública reúne cerca de 160 pessoas para discutir nova licitação do transporte coletivo de Blumenau

 

Cerca de 160 pessoas participaram nesta quarta-feira à noite da audiência pública na Vila Germânica que recolheu sugestões para o novo edital de licitação do transporte coletivo de Blumenau. As propostas, agora, serão analisadas por uma comissão especial criada pela prefeitura.

Entre os pedidos, estavam, entre outros, a permissão de cãos-guias de deficientes visuais nos ônibus, mais horários para a Vila Itoupava, aplicativo para celular que informe quando o veículo está chegando no ponto e criação de linhas exclusivas para estudantes. Veículos 100% novos e mais modernos, com wi-fi e ar-condicionado, também foram reivindicados. Houve, ainda, quem defendeu a permanência dos cobradores e a integração do novo sistema com bicicletas.

— Existem inúmeras melhorias, mas o que foi muito falado foi o loteamento da cidade, para que não seja apenas uma empresa ou um consórcio (o responsável pelo sistema) e evitar o que aconteceu no passado — acrescenta Rafael Koehler, ator e diretor teatral.

A expectativa do poder público é que toda a documentação esteja pronta até maio para que o edital seja lançado em até 60 dias a partir disso. Sugestões ainda podem ser feitas pelo telefone 156 ou pelo site do Seterb. A autarquia ainda estuda disponibilizar urnas em terminais para que os passageiros contribuam com propostas.

— É imprescindível a participação da comunidade na construção desse novo modelo do transporte — reforça o presidente do Seterb, Carlos Lange.

O ciclista Carlos Henrique Laun diz que a falta de acessibilidade é um dos grandes impasses do sistema de transporte público blumenauense:

— Já andei em vários metrôs e trens do mundo, e nesses transportes você pode entrar com a bicicleta. Além disso, cadeirantes e pessoas cegas também conseguem usar o transporte sem problemas — aponta.

OAB vai apresentar documento com propostas

A subseção de Blumenau da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai apresentar à prefeitura uma lista com 10 sugestões para o novo edital de licitação do transporte público do município.

Uma das recomendações é a “não exclusividade” da concessão. Ou seja, a entidade defende que o sistema não fique nas mãos de uma única empresa. A OAB também sugere a participação de micro e pequenas empresas e cooperativas no processo, além da adoção da menor tarifa do serviço como critério de julgamento na licitação.

Outros pontos que constam na lista dizem respeito ao estabelecimento de requisitos mínimos para a prestação do serviço, integração do sistema de transporte coletivo, regras tarifárias claras e participação popular na fiscalização da operação.

A OAB também defende que o sistema deve ser projetado ao futuro porte da cidade, à existência de outros modais de transporte e sua integração metropolitana, além de buscar a sustentabilidade ambiental.

 

Fonte: Jornal de Santa Catarina

Aproveite todas as licitações públicas em um só lugar!